quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Truly, Madly, Deeply - 1º Capitulo

          Toscana, uma região na Itália central que é incrivelmente linda, cuja na capital, Florença, moravam uma família muito rica, a Gerevini. Na mesma rua moravam três irmãos, Vetor (o mais velho), Fillipo (o do meio) e Heitor (o caçula). Fillipo e Vetor casados com duas irmãs brasileiras, Vetor era casado com uma Portuguesa, que morreu no parto da filha mais nova, deixando Jamile e Rebeca órfãs de mãe.


          O mais velho era altamente severo com as suas filhas, Eduarda e Ingrid, e ficou ainda mais quando o filho mais velho, Pietro, foi assassinado misteriosamente no auge dos dezessete anos, um choque pra toda a família que o fez com que Fillipo mandasse a sua filha unica, Victoria, que era poucos messes mais nova que Pietro, fazer faculdade em outro país, bem longe. Ela tentou o vestibular para a Universidade de Oxford na Inglaterra e passou. Pouco antes da viajem, o seu pai e seus tios tiveram uma conversa seria com ela.

Vetor: Precisamos falar com você.
Heitor: E serio - olha cutucando a bochecha dele por dentro com a língua
Victoria: Mas não dá pra ficar seria com o Tio Heitor fazendo essa cara!
Fillipo: Por favor meu irmão, pare com essas brincadeiras!
Heitor: Calma, eu estou com um pedaço de carne do molho da Mama preso no dente.
Fillipo: Uhm... o molho da Mama!
Vetor: Sim vamos voltar ao assunto. E resolver logo isso!
Victoria: O que vocês querem me falar?
Heitor: Tem certos segredos da família Gerevini, que nos nuncas deixamos você e suas primas saberem, até porque existe uma idade certa que nos impormos, que é exatamente a sua. A alguns messes antes nos contamos pro Pietro - interrompeu
Vetor: E ele morreu! - começa a chorar


Victoria: Uh, então é serio! Me contem logo.
Fillipo: Bom, é... antes você tem que nos prometer que não vai contar pras suas primas, porque isso é tarefa nossa.
Victoria: Tá, agora me contem logo
Fillipo: Conta você Heitor, eu contei da ultima vez!
Heitor: Tá certo. O segredo da família Gerevine é que... a Mama bota um pouco de pimenta de cheiro na almondega do molho
Victoria: Ahm!? Jura, é isso que ela coloca? O segredo mortal era esse?
Vetor: não, Não, NÃO! Honrem os mafiosos que são!! - bravo 
Victoria: O que? Não, não é possível? Gerevine é uma Máfia! Só são você os mafiosos?
Fillipo: Não, todos os homens da família acima de 18 anos e alguns agregados, esses não são obrigados, mas estão na máfia Gerevini.
Heitor: Mas as mulheres não entram, foi uma regra imposta pelo nosso Nono.
Victoria: Mas o que é que tem a ver a morte do Pietro com a máfia? Ele não estava em conflito nem nada.
Vetor: Capangas da Castanhgeto, executaram ele por encomenda, pra lembrar de uma divida que nos temos com eles.
Victoria: Que divida é essa? É por isso que estão me mandando pra Inglaterra?
Fillipo: Também, e vamos mandar as suas primas pra morar com você lá, por esses 2 anos.
Heitor: Vocês vão ficar bem mais protegidas lá e você não pode contar pra ninguém que sua família é mafiosa.
Victoria: Mas que segredo é esse, que só pra lembrar eles mataram o meu primo?
Vetor: Você vai saber, mas não agora! Pode sair.

          Ela sai da sala muito assustada, e fica assim até o dia seguinte, quando chega a hora de se despedir. No aeroporto estavam as suas primas Jamile e Eduarda, que eram as mais novas com 16 anos recém completados, Rebeca e Ingrid que já tinham 17 anos, seus tios, esposa de Vetor e seus país, sua mãe, Ana, chorava e Amelia, mulher de Vetor e irmã dela consolava. E Victoria entrou dentro do avião direto para o aeroporto de Oxford-Inglaterra.


...

Nenhum comentário:

Postar um comentário